Aceleração digital dos negócios e varejo com foco no relacionamento com o cliente. Você está preparado?

Introdução

2020 foi um ano que mudou o mundo como o conhecemos. A pandemia do coronavírus causou transformações profundas nos mais diversos setores. Do entretenimento à educação, da saúde à tecnologia, todos tiveram que se adaptar aos novos tempos.

No varejo brasileiro não poderia ter sido diferente. Estima-se que o setor sofreu uma transformação digital equivalente a de 3 a 5 anos somente em 2020, guiada pelas mudanças nos hábitos de consumo da população, que se rendeu ao digital de maneira irreversível.

De acordo com Mitch Joel, fundador do Six Pixels Group, existem três estágios de reação do varejo à pandemia, são eles: como sobreviver, como se manter e como prosperar na crise.

Em um primeiro momento, as marcas tiveram que lidar com suas lojas fechadas, sem saber o que fazer com o estoque e funcionários parados. Depois, viram que dava para seguir vendendo, não sem desafios, a partir de marketplaces, utilizando estoques das lojas fechadas para atender pedidos online e funcionários assumiram outras funções.

Para prosperar, precisaram entender que o varejo não voltará a ser como antes, mas que a crise e a digitalização dos negócios também trouxeram lições valiosas. O setor de supermercados, por exemplo, que é o menos digitalizado no varejo, apresentou um crescimento de 80% nas vendas logo no início da pandemia, segundo reportagem do Uol.

Cada vez mais é preciso estar atento e se adaptar diante das mudanças impostas. Por isso, listamos a seguir, alguns caminhos estratégicos que o varejo deve seguir se quiser prosperar e ter relevância no mundo pós pandemia.

Transparência

A relação entre marca e cliente tem de ser transparente. Cuidar da imagem da empresa é algo fundamental para a construção de um relacionamento de confiança.  A mensagem que a marca quer passar tem de ser comunicada em todos os pontos de contato, da mesma maneira.

Consumidores hoje em dia querem saber com quem a marca faz negócio: fornecedores e colaboradores têm que partilhar dos mesmos valores. Essa harmonia gerada pela transparência é o que vai motivar a fidelização de clientes.

Competitividade Digital

A pandemia causou uma gigantesca e veloz aceleração digital, mas essa transformação não atingiu todas as empresas da mesma maneira. Marcas mais bem preparadas digitalmente cresceram quatro vezes mais que as menos preparadas, segundo Guillaume Bacuvier, CEO da Dunnhumby.

Essa diferença produziu uma “desigualdade” digital entre as empresas. A capacidade de entender a fundo seu público e poder reagir com agilidade às constantes mudanças no varejo ficaram ainda mais evidentes diante dos desafios da pandemia, e aqueles que não conseguirem avançar digitalmente serão deixados de lado.

Reinvenção da Loja Física

Ao contrário do que se imaginava há algum tempo, o papel das lojas físicas no varejo está ainda mais consolidado. Para aqueles que achavam que a digitalização dos negócios causaria a ruína das lojas tradicionais, podemos dizer que essa afirmação não poderia estar mais distante da verdade.

O que de fato aconteceu foi que o seu papel mudou. No varejo atual, a função da loja física deixou de ser apenas um ponto de venda para ser também um hub de distribuição e ponto de coleta, servindo de apoio ao varejo digital e um lugar de experiência de compra para o consumidor e engajamento com a marca.

Foco no cliente

Parece óbvio, mas não custa repetir: o varejo deve ter o cliente no centro de tudo. O relacionamento entre marca e cliente é o que deve pautar todas as ações de uma varejista, desde a arquitetura de uma loja física até o tamanho do investimento em tecnologia. Tudo precisa ser pensado para propiciar a melhor experiência para o cliente.

Para cumprir essa missão, a tecnologia é uma aliada essencial. Com a ajuda de inteligência artificial é possível processar uma quantidade imensa de dados que vão tornar mais eficiente a missão de entender cada vez melhor o consumidor e seu comportamento.

Se ela sozinha não faz muita coisa, quando aliada a uma estratégia clara, a tecnologia pode tornar processos mais eficientes e ágeis, eliminar falhas e ajudar os donos de negócio a se prepararem para as constantes mudanças pelas quais o varejo passa.

Novo consumidor, novo varejo

Sabemos que a pandemia mudou tudo. Quem não comprava online no dia a dia, passou a comprar. Quem não vendia nas redes sociais, passou a vender. Quem tinha receio de usar cartões de crédito como meio de pagamento para vendas online, hoje tem carteiras digitais.

O perfil do consumidor mudou. E o que ele deseja, ou melhor, exige, é ter uma experiência de compra eficiente e ágil, independente do canal de compra. Para poder atender a esse novo consumidor é essencial conhecê-lo profundamente.

Utilizar estratégias omnichannel nos negócios é um pré-requisito para sobreviver à pandemia e às mudanças que ela ocasionou. O novo consumidor precisa comprar no canal que quiser, com o meio de pagamento que achar melhor e receber a mercadoria como lhe for mais conveniente. Tudo isso com muita agilidade e eficiência e sem custos extras.

Isso já é realidade no seu negócio?

Conclusão

Ser omnichannel é ter transparência, competitividade digital, dar a devida importância à loja física, focar no cliente e entender intimamente quem ele é hoje, o que ele deseja, do que ele não abre mão.

O varejo sofreu uma grande transformação nesse um ano e meio de pandemia, mas quem esteve atento, soube não somente recuperar a relevância, mas aproveitar a oportunidade para aprender lições valiosas.

Pensando no mercado de varejo e nas constantes mudanças que passa, a Nexaas resolveu reunir tecnologia, inovação e pessoas e desenvolveu uma solução omnichannel robusta e extremamente intuitiva, escalável e segura para ajudar os varejistas na missão de gerenciar suas operações de forma eficiente, para que pudessem oferecer a melhor experiência de compra para seus clientes.

Se quiser saber mais sobre nossas soluções, clique aqui.

0 Shares:
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar
Ver conteúdo

Saiba quais são as vantagens de ter mobilidade no seu varejo

Muitos varejistas ainda lidam com sistemas para pontos de venda fixos que engessam muitos processos dentro do varejo, além de gerar custos com sistemas, manutenções e treinamentos. Além disso, esses sistemas reduzem o potencial de atendimento, e logo, de vendas, por demandar que colaboradores se dediquem exclusivamente às tarefas de caixa, ao invés de liberar o pessoal para atender. Outro aspecto que torna um PDV fixo uma solução antiquada é o fato de que estes…
Ver conteúdo

Novidade na Nexaas – Integração com a Shopify

A Nexaas acaba de lançar integração com a Shopify, uma das maiores e mais utilizadas plataformas de e-commerce do mundo. Essa notícia chega em um momento muito oportuno do mercado de varejo, que mostrou um crescimento acima da média em 2020 e deve seguir nessa vertente nos próximos anos, de acordo com as previsões. Isso se deu muito por conta da pandemia mas, é preciso dizer que não é um movimento novo, apenas acelerado. Um…
Ver conteúdo

Como reduzir custos e otimizar a operação do seu varejo

Nesse momento tão delicado para a economia mundial, e sobretudo para quem tem uma demanda baseada em grande parte na venda presencial para o consumidor final, que nada mais é do que o que conhecemos como varejo, é essencial redefinir o direcionamento de muitas ações para minimizar dificuldades e descobrir novas oportunidades de crescimento. Por isso, vamos falar sobre algumas formas de otimizar a operação no varejo, para que seu negócio consiga seguir firme em…